segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Problema no sistema do Gmail deletou e-mails de 150 mil usuários

Problema no sistema do Gmail deletou e-mails de 150 mil usuários

Engenheiros afirmaram que estão trabalhando para restaurar o acesso.Segundo o Google, defeito afetou menos de 0,08% dos usuários do serviço.

Cerca de 150 mil contas do Gmail foram afetadas por um defeito durante o final de semana. Segundo o Google, menos de 0,08% dos usuários do serviço de e-mail perderam todo o seu conteúdo, como mensagens, anexos e arquivos de conversas no Gtalk.

O problema chamou a atenção do Google quando usuários começaram a encher os fóruns de suporte da empresa com reclamações de e-mails perdidos.

Conforme o site “Mashable”, quando os usuários afetados acessaram o Gmail no domingo (27), eles se deparam com uma página que pedia para que a conta fosse redefinida. Os usuários teriam, inclusive, que definir detalhes apresentados nas boas-vindas, quando é feito o primeiro registro.

Os engenheiros do Google afirmaram que estão trabalhando para restaurar o acesso das contas. Segundo eles, alguns usuários já tiveram seu acesso normalizado. Os usuários prejudicados ficarão, temporariamente, impossibilitados de acessar a conta. Em mensagens anteriores, os engenheiros afirmaram que, para aquelas usuários que perderam e-mails, o Google está trabalhando para recuperá-los.







Dos R$ 50 bi de corte no orçamento, R$ 15,8 bi são em gastos obrigatórios

Dos R$ 50 bi de corte no orçamento, R$ 15,8 bi são em gastos obrigatórios

Anúncio foi feito pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior.
Outros R$ 36,2 bi estão sendo cortados no orçamento de custeio e capital.

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou nesta segunda-feira (28), que, do corte total de R$ 50 bilhões no orçamento federal deste ano, R$ 15,8 bilhões se darão em despesas obrigatórias. Ao lado do ministro da Fazenda, Guido Mantega, a ministra detalha em Brasília as áreas que sofrerão os cortes.

A diferença de R$ 36,2 bilhões do bloqueio de gastos será feita no orçamento de custeio e capital, ou seja, nos gastos do dia a dia dos ministérios e de investimentos.

Segundo a ministra do Planejamento, haverá um corte de R$ 3,5 bilhões serão feitos nos gastos com pessoal, R$ 2 bilhões nas despesas da Previdência Social, ao mesmo tempo em que haverá um bloqueio de R$ 3 bilhões nos gastos com abono e com o seguro desemprego. Também está previsto um corte de R$ 9 bilhões nos chamados "subsídios".

Apresentação dos ministros Guido Mantega e Miriam Belchior detalha cortes no Orçamento.
(Foto: Reprodução)

"No que se refere ao pessoal, haverá uma auditoria externa na folha com a FGV. Também haverá um adiamento dos concursos públicos e revisão de novas admissões que estavam previstas. Na Previdência Social, haverá um cruzamento com o cadastro dos estados. Sobre o abono e seguro desemprego, a redução será de 10% e será atingido com a revisão dos procedimentos de concessão. Vamos tentar fechar as portas de fraudes que aconteçam", declarou a ministra.

No caso dos subsídios, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou que a peça orçamentária trazia um limite de R$ 14 bilhões. "No ano passado todo, gastamos R$ 5 bilhões com subsídios. Existe margem para reduzir, mesmo porque uma das medidas importante é reduzir o subsídio do BNDES, que vai renovar o PSI [Programa de Sustentação dos Investimentos] com taxas de juros maiores. Com isso, a União estará dando um subsídio menor", informou ele.

Sobre o bloqueio de R$ 36,2 bilhões no orçamento de custeio e capital, a ministra do Planejamento disse que os principais programas sociais, assim como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) estão sendo preservados dos bloqueios. "O maior corte é o Ministério das Cidades. Depois, é em Defesa. O maior percentual é em Turismo e Esporte", declarou. Ela acrescentou que estão previstos bloqueios de R$ 18 bilhões em investimentos relativos a emendas de parlemantares.







Pré-selecionados do ProUni devem comprovar informações declaradas

Pré-selecionados do ProUni devem comprovar informações declaradas

Segunda chamada do programa de bolsas foi divulgada no domingo.

Estudantes devem comparecer às instituições de ensino até sexta-feira.

Os pré-selecionados da segunda etapa de inscrições do Programa Universidade Para Todos (ProUni) terão entre esta segunda-feira (28) até sexta-feira (4) para comparecer às instituições de ensino e comprovar as informações declaradas na inscrição. A lista da segunda chamada foi divulgada no domingo.

Caso ainda existam bolsas disponíveis, será realizada uma segunda chamada em 13 de março. A consulta ao resultado da primeira chamada poderá ser feito pelos candidatos inscritos na página do ProUni.

Lista de espera

Ao final das duas chamadas, os candidatos ainda não pré-selecionados, ou que tenham sido pré-selecionados para cursos em que não houve formação de turma, constarão em uma lista de espera que estará disponível às instituições de ensino a partir de 21 de março. A classificação do candidato considerará a primeira opção de inscrição. Caso não tenha ocorrido formação de turma nessa primeira opção, a classificação se dará na opção seguinte, até a terceira.

A partir da classificação na lista de espera, as instituições de educação superior convocarão os estudantes, entre 21 e 25 de março, para verificação das informações prestadas na inscrição. Não será necessária a confirmação, por parte do candidato, do interesse em participar da lista.






Lei que reajusta salário mínimo para R$ 545 é publicada no Diário Oficial

Lei que reajusta salário mínimo para R$ 545 é publicada no Diário Oficial

Sanção presidencial ocorreu na última na sexta-feira (25).
Vigência do novo salário começa em março, para pagamento só em abril.

Após a aprovação do salário mínimo de R$ 545 na última semana pelo Senado Federal, a presidente Dilma Rousseff confirmou, nesta segunda-feira (28), por meio de lei publicada no Diário Oficial da União, o reajuste do mínimo - que serve de referência para o salário de 47 milhões de trabalhadores no país.

A correção do valor em R$ 35, visto que o salário mínimo estava em R$ 510 no ano passado, implicará em um aumento de despesas de cerca de R$ 10 bilhões para o governo federal neste ano, segundo estimativas da equipe econômica. A previsão do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos é de que sejam injetados R$ 211 bilhões na economia com o aumento.

Além de corrigir o salário mínimo para R$ 545, a proposta do governo, aprovada pelo Congresso, também estabelece o mecanismo de atualização até 2015. O sistema anterior, que previa o reajuste anual pelo PIB de dois anos anteriores, e a inflação do último ano, foi mantido. A correção nos próximos anos também se dará por decreto presidencial.

R$ 545 a partir de março, com pagamento em abril

O valor de R$ 545, segundo a lei aprovada pelo Congresso Nacional, começa a ter vigência a partir de março. Entretanto, o pagamento efetivo deste valor começa somente em abril (relativo ao trabalho realizado no mês anterior). Em janeiro e fevereiro deste ano, o salário mínimo foi de R$ 540.

O governo resolveu dar um aumento maior somente em meados de janeiro. Na ocasião, o anúncio foi feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que explicou que o aumento de mais R$ 5, frente ao patamar do início deste ano, se deveu ao crescimento mais forte da inflação no último mês do ano passado.

Debate na Câmara dos Deputados

O reajuste do salário mínimo, que aconteceu após amplo debate na Câmara dos Deputados entre o governo, as centrais sindicais e partidos de oposição, foi considerado o primeiro teste do governo Dilma Rousseff no Legislativo.

O governo defendeu, desde o início dos debates, um mínimo de R$ 545. As centrais sindicais pediam inicialmente um salário de R$ 580, mas baixaram a proposta para R$ 560, e, o PSDB, um valor de R$ 600. No fim da votação na Câmara e no Senado Federal, acabou prevalecendo a proposta do governo federal.

Durante debate no Congresso Nacional, o ministro Mantega afirmou que o governo não poderia dar um reajuste maior, conforme o pedido dos sindicados e dos partidos de oposição. Segundo ele, seria uma incongruência dar um aumento superior a R$ 545 em um momento de cortes de gastos, no valor de R$ 50 bilhões. Mantega argumentou que um salário mínimo maior também poderia gerar mais inflação, que já se mostra alta neste início de ano.

Também na Câmara dos Deputaqdos, o presidente da Força Sindical e líder do PDT na Câmara, Paulo Pereira da Silva (SP), lembrou que a reivindicação original das centrais sindicais era de um salário mínimo de R$ 580, mas que, para “fechar acordo”, as centrais aceitaram reduzir o valor para R$ 560.

Justiça

Após a aprovação do salário mínimo pelo Congresso Nacional, a oposição informou que pretende ingressar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para contestar o uso do decreto para fixar o valor do salário mínimo, considerado inconstitucional pelos oposicionistas.

O senador José Agripino (DEM-RN) disse que vai protocolar, junto com o PSDB e o PPS, uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no STF contra o artigo do projeto que permite ao governo editar por decreto o valor do salário mínimo até 2015.

"Vamos esperar a presidente sancionar a lei para entrarmos com uma ação no Supremo. Temos apoio de entidades e vamos batalhar para derrubar este artigo de lei na Justiça", acrescentou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) na semana passada.




 



Mubarak é proibido de deixar o Egito e tem bens congelados

Mubarak é proibido de deixar o Egito e tem bens congelados

Segundo o Ministério Público, ordem também inclui congelamento de bens.

Ex-presidente egípcio renunciou no dia 11 de fevereiro.

O Ministério Público do Egito emitiu uma ordem que impõe a proibição de viajar para o ex-presidente Hosni Mubarak e sua família enquanto as queixas contra eles estão sendo investigadas, disse um porta-voz do Ministério nesta segunda-feira (28).

Ele não detalhou as denúncias, mas o porta-voz da promotoria Adel el-Saeed disse que uma ordem oficial tinha sido emitida, acrescentando que a ordem também implica o congelamento de seus bens e dinheiro.

Mubarak renunciou ao governo egípcio em 11 de fevereiro, após 18 dias de violentos protestos populares, que encerraram um governo de quase 30 anos. Ele entregou o poder a uma junta militar, que se comprometeu em fazer a transição para a democracia em seis meses.
A revolta popular inspirada pelo Egito e pela Tunísia se espalhou pelos países da região, inclusive a Líbia, que enfrenta uma sangrenta repressão aos protestos de rua, segundo testemunhas.







Lei de Valorização do salário mínimo garante estabilidade e segurança, afirma Dilma

A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (28) que o governo quer continuar com a política de valorização do salário mínimo para que a roda da economia gire com vigor. Ao comentar a definição de regras para o reajuste, ela avaliou que o momento é importante para o trabalhador porque a lei traz segurança e estabilidade.

“Com ela, todos sabem de antemão quais são as regras e os critérios de aumento do salário mínimo, daqui até 2015”, disse, em seu programa semanal Café com a Presidenta. O reajuste do salário mínimo, definido em R$ 545, entra em vigor amanhã (1º).

Dilma lembrou que a Lei de Valorização do Salário Mínimo consolida um acordo fechado pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com as centrais sindicais em 2007.

“O salário mínimo tem que ter um ganho real, uma valorização. E este aumento real deve acompanhar o crescimento da economia”, explicou.

A presidenta destacou que caso a economia brasileira não cresça ou registre queda, o cálculo do reajuste vai considerar que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) será nulo e não haverá desconto no salário mínimo.

A estimativa para 2016, segundo Dilma, é que o reajuste seja de cerca de 13% em razão de um crescimento de 7% acima da inflação no ano passado, totalizando um mínimo de R$ 616.

*Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

Empresas têm até hoje para entregar comprovante de rendimentos do IR

Documento é necessário para contribuintes fazerem sua declaração.
A partir desta terça, pessoas podem baixar programa e enviar documento.

O prazo de entrega do comprovante de rendimentos pelas empresas aos seus funcionários, documento necessário para fazer a declaração do Imposto de Renda 2011, termina nesta segunda-feira (28), último dia útil de fevereiro. A partir desta terça-feira (1), os contribuintes poderão baixar o programa do IR na página do Fisco para preencher as suas declarações.

Neste ano, os documentos começam a ser recebidos pelo Fisco em 1º de março. O prazo se estende até 29 de abril e, quem perdê-lo, está sujeito a uma multa mínima de R$ 165,74. A expectativa do órgão é de receber 24 milhões de declarações em 2011.

O comprovante de rendimentos deverá trazer as informações sobre o total dos rendimentos obtidos pelo trabalhador em 2010 e o do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) no período. No ano que vem, a multa por não entregar o documento dentro do prazo, ou apresentá-lo com informações incorretas, foi mantido em R$ 41,73 por funcionário.

Cruzamento de dado

As informações contidas no comprovante de rendimentos são cruzadas com as fornecidas na Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf), que as empresas também devem remeter à Receita Federal também até 28 de fevereiro. Caso a Receita encontre divergências, a declaração é retida na chamada malha fina até que as partes solucionem as pendências.

*Fonte: www.g1.com.br

Mais de 700 mil empregados domésticos saíram da informalidade com abatimento da Previdência no IR

A Receita Federal calcula que mais de 700 mil empregados e empregadas domésticas tenham saído da informalidade, entre 2006 e 2010, com a regra que permitiu o abatimento da contribuição previdenciária no Imposto de Renda dos patrões.

A dedução, instituída pela Lei nº 11.324, foi a forma que o governo encontrou de estimular a retirada dos trabalhadores domésticos da informalidade. O benefício fiscal só é permitido a um empregado doméstico por declaração, inclusive no caso de ela ser feita em conjunto.

A renúncia fiscal com a medida, em 2010, será de aproximadamente R$ 500 milhões, de acordo com a Receita Federal. Mas o resultado definitivo só deve ser apurado após a entrega das declarações, que começa no dia 1º de março e vai até 29 de abril.

Entre 2006 e 2009, em termos nominais, São Paulo foi o estado que mais se beneficiou da regra. Os contribuintes paulistas puderam abater o total de R$ 346 milhões de contribuições previdenciárias do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

Depois, vem Minas Gerais com R$ 148 milhões, seguido do Rio de Janeiro com R$ 116 milhões. Os contribuintes de Roraima, estado com menor população, abateram R$ 968 mil. Em todo o Brasil, no período, deixaram de ser recolhidos R$ 1,1 bilhão com a medida.

A contribuição patronal paga à Previdência Social incidente sobre a remuneração do empregado doméstico só poderá ser deduzida do IRPF do empregador até a declaração de 2012, quando o contribuinte mostrará à Receita seus ganhos e gastos referentes a 2011.

*Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

Prazo para entrega da declaração do imposto de renda começa amanhã

Período de entrega termina em 29 de abril; tributaristas lembram que, quanto antes for entregue o documento, mais cedo chega a restituição

Começa amanhã o prazo para a entrega da declaração do imposto de renda ano-calendário 2010. Especialistas em tributos lembram que, quanto mais cedo a declaração for entregue, mais rapidamente será a liberada a restituição.

A partir deste ano, a Receita Federal não aceitará a declaração por meio de formulário de papel. O programa para o preenchimento do documento também estará disponível para download a partir de amanhã. Além do envio online, é possível entregar a declaração em CD ou disquete nas agências da Caixa Econômica e do Banco do Brasil.

Pelo segundo ano consecutivo, a Receita aumentou o limite para isentos do imposto de renda. Agora, quem obteve rendimentos tributáveis de até R$ 22.487,25 durante 2010, está isento de declarar. Na declaração relativa a 2009, o teto era de R$ 17.215,08.

"Como sempre, a recomendação mais importante é não deixar a declaração do imposto de renda para ser feita em cima da hora", diz o advogado tributarista José Américo Oliveira da Silva, sócio do escritório Oliveira da Silva, Gonçalves, Campos e Silvério Associados.

Para auxiliar os leitores no preenchimento das declarações, a tributarista Elisabeth Lewandowski Libertuci responderá às dúvidas que forem enviadas para: imposto.renda@grupoestado.com.br. As respostas serão publicadas diariamente no Estado. Há ainda o blog Entenda Seu IR (http://blogs.estadao.com.br/entenda-seu-ir/) que já está com diversas respostas publicadas.

Samir Choaib, tributarista do escritório Choaib, Paiva e Justo Advogados, lembra de outra alteração promovida pela Receita para esta declaração. A partir deste ano, casais homossexuais podem incluir seus parceiros como dependentes.

Os especialistas consultados pela reportagem salientam que é preciso ter cuidado na informação de gastos com saúde. "Só incluir o que puder comprovar", recomenda José Santiago da Silva, sócio-diretor da Divisão de Auditoria da Crowe Horwath RCS. Silva reforça que o sistema da Receita está cada vez mais preciso e, cair na malha fina por conta da declaração de despesas médicas é cada vez mais recorrente. "E, se não tem o comprovante da consulta, o contribuinte só terá dor de cabeça", emenda.

Em caso de dúvida sobre o modelo completo ou simplificado, Choaib recomenda que o contribuinte tenha em mãos todos os documentos de despesas e preencha a declaração pela forma completa. Depois de colocar os gastos nos campos específicos, o programa automaticamente dirá qual versão é mais vantajosa.

Silva, da Crowe Horwath RCS, explica que no modelo simplificado, as deduções são substituídas pelo desconto automático de 20% sobre o rendimento tributável, limitado a R$ 13.317,09. Em 2010, o limite era de R$ 12.743,63.

Os documentos básicos para fazer a declaração são os mesmo de sempre: comprovante de rendimentos; extrato bancário e de investimentos, além dos comprovantes de gastos. Os empregadores, bancos e corretoras têm obrigação de entregar esses documentos até o fim do dia de hoje. "Se não recebeu, o contribuinte pode registrar uma reclamação na Receita Federal, que autuará a empresa com uma multa pelo atraso na entrega", explica Choaib.

Investimentos. Os investimentos mantidos durante o ano passado também devem ser declarados. Por exemplo, o saldo da poupança precisa ser informado na aba "Patrimônio". As aplicações em ações também devem ser informadas. Silvio Hilgert, da XP Investimentos, diz que só serão tributados investidores que venderam mais de R$ 20 mil em ações durante algum dos meses do ano passado.

"O investidor que movimentou mais de R$ 20 mil deve ter recolhido por meio de DARF o imposto no mês em que essa negociação ocorreu", diz Hilgert. Com os comprovantes de DARF em mãos, o investidor precisa entrar na aba "Demonstrativo de Renda Variável" e incluir os dados solicitados. Nesta área, diz ele, aparecem 12 janelas (uma para cada mês) onde se deve colocar as operações mensais. "É simples", diz.

Para investidores menores e que não alcançaram os R$ 20 mil de venda, Hilgert também recomenda o lançamento dos investimentos na declaração. "Mas, nesse caso, deve ser incluído no campo de patrimônio", indica.

*Fonte: www.estadao.com.br

Repasses da União aos municípios se recuperam em 2011

Com meses de defasagem em relação às receitas federais, os repasses da União para os municípios começaram 2011 em recuperação. Depois de encerrar 2010 com queda real (descontada a inflação) de 1,2%, as transferências do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) nos dois primeiros meses do ano totalizaram R$ 11,860 bilhões, alta real de 33,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os números são da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Somente em fevereiro, os repasses do FPM totalizaram R$ 6,1 bilhões, valor 7,7% maior que o de janeiro e 25,5% maior que o de fevereiro do ano passado em termos reais.

De acordo com a CNM, o desempenho da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que servem de base para o FPM, foi o principal fator para a recuperação dos repasses. Segundo dados divulgados na última semana pela Receita Federal, o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) foi o principal tributo que contribuiu para a arrecadação recorde de janeiro, com crescimento real de 24,17% sobre janeiro de 2010.

O FPM é formado por 22,5% da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do IPI, repassado a cada mês às prefeituras. Diferentemente dos outros tributos, o IR demorou mais a se recuperar da crise econômica. De acordo com a Receita Federal, a lucratividade menor das empresas em 2009, que determinou o IR pago em 2010, atrasou a recuperação das receitas do tributo e interferiu nos repasses do FPM no ano passado. Isso porque o Imposto de Renda corresponde a 80% da composição do fundo.

Para março, a Receita Federal estima um repasse menor que em fevereiro, em torno de R$ 4,5 bilhões. De acordo com a CNM, a queda é esperada por causa de fatores sazonais – oscilações típicas de determinadas épocas do ano. O montante esperado, no entanto, é maior que o valor da transferência de 2010, de R$ 3,4 bilhões.


*Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

Justiça do Trabalho tem 2,3 milhões de processos aguardando execução

O reconhecimento de um direito na Justiça leva tempo, mas, hoje, o fato de ganhar uma causa não significa que os problemas terminaram. Na Justiça do Trabalho, cerca de 2,3 milhões de processos já decididos aguardam execução, ou seja, dar à parte vencedora o que lhe foi reconhecido por direito. A quantidade vultosa de processos sem o devido desfecho tem preocupado juízes e tribunais trabalhistas, que estudam formas de reduzir o problema.

“A essência do processo é a fase de execução, pois, senão, fica uma situação de ganhou, mas não levou. A decisão não pode ser um anúncio de direito, tem que ser realidade”, afirma o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, Carlos Alberto de Paula. Segundo ele, a demora na execução não é um problema restrito a determinadas regiões e ocorre em todo o país.

O gargalo da execução também não se restringe à Justiça trabalhista, mas esta é considerada uma área sensível devido às implicações das decisões. Segundo a Constituição Federal, uma sentença da Justiça do Trabalho cria débitos de natureza alimentícia, ou seja, urgentes e essenciais para a sobrevivência do cidadão e seu pagamento deve ser prioritário.

“O transtorno das pessoas com a ineficácia de uma decisão da Justiça do Trabalho é muito grande. Para muita gente, não levar o que ganhou na Justiça é o mesmo que passar fome. Outro problema grave é que muitos processos trabalhistas lidam com a saúde da pessoa, e isso não pode esperar”, explica o juiz Marcos Fava, que participou do grupo formado, no ano passado, pela Corregedoria do Tribunal Superior do Trabalho (TST), para analisar porque os processos emperram na execução.

Estudo recente encomendado pela Corregedoria do TST sobre as taxas de congestionamento da execução trabalhista no país apontou uma média nacional de 67,9%, que sobe para 72,7% quando são levados em conta os processos que foram enviados provisoriamente para o arquivo, ainda sem desfecho.

O estado que lidera o ranking do congestionamento é a Bahia (85,8%), seguida pelo Ceará (85,1%) e pelo Rio de Janeiro (82,4%). Os estados menos congestionados são Sergipe (36,2%) e São Paulo (51,1%), sendo que este último é o estado com a maior quantidade de execuções em tramitação no país, quase 270 mil.

Muitas vezes, a variação entre as maiores e menores taxas de congestionamento pode ser encontrada em varas diferentes da mesma cidade. Em São Paulo, por exemplo, a 31ª Vara do Trabalho apresentou a maior quantidade de sentenças não executadas do país (9.219), enquanto a 42ª Vara do Trabalho tinha apenas quatro processos para executar, uma das melhores colocações nacionais.

*Fonte: www.agenciabrasil.ebc.com.br

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

IFMA divulga edital de seleção para curso de Celulose e Papel

IFMA divulga edital de seleção para curso de Celulose e Papel


Acontece hoje (25), a partir das 10h, no campus de Imperatriz do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Maranhão (IFMA), a assinatura do contrato de criação do curso técnico de Celulose e Papel na cidade. Além do IFMA, também participam como parceiras do projeto a Suzano Papel e Celulose e o Senai Bahia. Na ocasião, também será divulgado o edital de seleção do curso.

Ao todo serão oferecidas 320 vagas para o curso. Podem concorrer às vagas pessoas com, no mínimo, 18 anos e que tenham concluído o Ensino Médio.

O preenchimento das vagas será feito via seletivo. As inscrições para a seleção são gratuitas e podem ser realizadas via internet, através do site do IFMA (www.ifma.edu.br), entre os dias 28 de fevereiro e 11 de março. As provas serão aplicadas no dia 3 de abril, com questões de Língua Portuguesa e Matemática.

A divulgação dos aprovados no seletivo será divulgado no dia 8 de abril e as matrículas serão realizadas a partir do dia 11 do mesmo mês.

Parceria

O curso de Celulose e Papel, oferecido pela primeira vez pelo IFMA de Imperatriz, é fruto de uma parceria do Instituto com a empresa Suzano Papel e Celulose e com o Senai Bahia. O objetivo é qualificar profissionais na área para contribuírem com o desenvolvimento da região. Além disso, a Suzano também visa aumentar a oferta de mão-de-obra qualificada, que poderá ser, futuramente, utilizada pela empresa.



 


Em discurso, Kadhafi reafirma que vai 'triunfar sobre inimigos' na Líbia

Em discurso, Kadhafi reafirma que vai 'triunfar sobre inimigos' na Líbia

TV mostrou ditador falando para multidão em praça na capital, Trípoli.
Rebeldes contrários ao governo ganham terreno e tomam partes do país.

O ditador da Líbia, Muammar Kadhafi, voltou à TV nesta sexta-feira (25) e disse que vai "triunfar sobre os inimigos", em meio aos protestos que tomam o país do norte da África e cuja repressão pelas forças de segurança já provocou as mortes de centenas de pessoas.

As imagens mostraram o coronel, que está no poder desde 1º de setembro de 1969, falando a uma multidão de partidários na Praça Verde, na capital líbia, Trípoli.

Ele pediu à população que "se prepare" e proteja o país e também as instalações petrolíferas, importante fonte de riqueza da região. O país é o 12º maior produtor mundial de petróleo .

"O povo líbio ama Kadhafi", disse à multidão.

Em tom ameaçador, Kadhafi falou que, se necessário, vai abrir os arsenais do país para armar a população e as tribos.

"Retaliem contra eles, retaliem contra eles", disse Kadhafi. "Dancem, cantem e se preparem. Preparem-se para defender a Líbia, para defender o petróleo, a dignidade e a independência."

Avanço rebelde

Enquanto isso, os rebeldes contrários ao seu governo, que já praticamente tomaram o leste do país a partir da cidade de Benghazi, continuavam seu avanço em outras regiões do território líbio.

Kadhafi ainda domina a capital, mas, segundo testemunhas, algumas áreas de Trípoli já estão em poder dos rebeldes. Há relatos de que forças de segurança atiraram contra manifestantes em vários bairros nesta sexta, provocando mortes.

Enquanto isso, cresce a ofensiva diplomática contra o ditador, com a União Europeia e o Conselho de Segurança da ONU preparando sanções contra o governo.

A Otan e a Europa pressionaram o regime, unindo forças para resgatar estrangeiros na Líbia, e líderes europeus defendem o estabelecimento de uma zona aérea restrita sobre o país.

O comandante da Otan, Anders Fogh Rasmussen, encontrou os ministros europeus da Defesa em Godollo, Hungria, para discutir um amplo esforço de evacuação de estrangeiros.

Já em Bruxelas, o bloco de 27 nações concordou em embargar o envio de armamentos, congelar bens e banir a venda de equipamentos de segurança utilizados contra manifestantes.

A expectativa é que as sanções entrem em vigor em alguns dias, informaram fontes diplomáticas à AFP.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU recomendou a suspensão da Líbia e decidiu enviar uma missão ao país para avaliar as violações. Durante a sessão, a delegação líbia anunciou seu rompimento com Kadhafi.

Vários diplomatas e autoridades líbios também estão renunciando a seus cargos ou rompendo com o ditador, o que evidencia seu isolamento.

As Nações Unidas seguem preocupadas com a situação humanitária do pais, temendo uma crise na distribuição de alimentos no país e também um colapso gerado pelas mais de 30 mil pessoas que deixaram o país, temerosas da violência.

O número de mortos pela repressão aos protestos é uma incógnita. O governo fala em pelo menos 300, mas organizações e outras fontes, como o embaixador adjunto da missão líbia na ONU, Ibrahim Dabbashi, falam em "milhares".









*Fonte: http://g1.globo.com/revolta-arabe/noticia/2011/02/kadhafi-reafirma-que-vai-triunfar-sobre-inimigos-na-libia.html

Brasil tem 38% dos adolescentes vivendo em situação de pobreza

Brasil tem 38% dos adolescentes vivendo em situação de pobreza

Dados do Unicef mostram que percentual é maior que média nacional.
Segundo Unicef, faltam políticas públicas para os adolescentes.

Pesquisa do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) divulgada nesta sexta-feira (25) revela que 38% dos adolescentes no Brasil vivem em situação de pobreza, enquanto esse percentual é de 29% em relação à média da população brasileira.

De acordo com o estudo, dentre as crianças e adolescentes negros o percentual dos que vivem em situação de pobreza é ainda maior, 56%. Nas regiões Sul e Sudeste, onde a pobreza é considerada menor do que nas demais regiões, os jovens negros têm 70% de chances de serem pobres do que os brancos.

A região com mais adolescentes pobres (67,4%) é o semi-árido nordestino, seguida pela região amazônica, onde 56,7% dos jovens vivem em situação de pobreza. Segundo o Unicef, o índice negativo no Nordeste, se deve, entre outros fatores, às condições climáticas desfavoráveis, à falta de acesso à água potável, saneamento, educação e serviços de saúde de qualidade.

Nessa região, 16% dos jovens entre 15 e 17 anos estão fora da escola, e o percentual da população de adolescentes que não foi alfabetizada é quase o dobro da média nacional. De acordo com o estudo do Unicef, dos 1,8 milhão de brasileiros entre 7 e 24 anos que não sabem ler, 54% moram na região Nordeste.

Atualmente, 13 milhões de crianças e adolescentes vivem no semi-árido brasileiro, onde a população de 12 a 17 anos soma cerca de 5 milhões de pessoas. Outros 9 milhões de crianças e adolescentes moram na Amazônia Legal brasileira, sendo que 2 milhões têm entre 12 e 17 anos.

A região sudeste concentra a maior população de adolescentes brasileiros, 38,5%, seguido pelo Nordeste (31%). No Sul vivem 13,9% dos jovens. O Norte tem 9,4%, e o Centro Oeste tem 7,3% dos adolescentes brasileiros.

O estudo do Unicef conclui que as políticas públicas voltadas para os adolescentes no Brasil são insuficientes. “Em consonância com o relatório mundial, a situação dos adolescentes no Brasil demonstra que atualmente as oportunidades para sua inserção social e produtiva ainda são insuficientes, tornando-os o grupo etário mais vulnerável em relação a determinados riscos, como o desemprego e subemprego, a violência, a degradação ambiental e redução dos níveis de qualidade de vida”, diz o relatório.

O Unicef recomenda que ações voltadas às crianças no Brasil, como as ligadas à educação, alfabetização e acesso à saúde, sejam ampliadas aos jovens. O organismo internacional também propõe que seja feita uma coleta de dados para identificar os grupos mais vulneráveis de adolescentes em todas as regiões e os principais problemas enfrentados por eles.




 



*Fonte: http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/02/brasil-tem-38-dos-adolescentes-vivendo-em-situacao-de-pobreza.html

Mais de 80% das vagas de emprego para presos não são preenchidas

Mais de 80% das vagas de emprego para presos não são preenchidas


Das 2.848 oportunidades geradas em 2009, apenas 445 foram aproveitadas

passagem pela prisão muitas vezes fecha portas para cidadãos que tentam recomeçar a vida no mercado de trabalho. Entretanto, hoje há mais vagas para presos e ex-detentos do que as que são efetivamente preenchidas. Segundo números do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), 2.848 vagas para esse público foram registradas desde 2009, mas apenas 445 foram aproveitadas - em torno de 15%.

Os números são do projeto Começar de Novo, instituído pelo CNJ para dar oportunidade a quem responde ou já respondeu por um crime.

Criado em 2009, o projeto deixou a cargo dos tribunais e dos juízes a responsabilidade de fechar parcerias para a criação de vagas e para capacitar os detentos. O Judiciário também ficou responsável por gerir o encaminhamento dos presos para as oportunidades de trabalho.

As vagas registradas desde 2009 estão no Distrito Federal e em 18 Estados, sendo que em 11 regiões nenhuma foi preenchida, de um total de 1.422 vagas.

As oportunidades estão distribuídas em todas as regiões do país para as mais diversas profissões, como pintor, mecânico, cozinheiro e pedreiro. Em apenas oito Estados não houve criação de vagas.

Os Estados que criaram mais vagas são a Bahia (956) – onde nenhuma foi preenchida até agora - e o Espírito Santo (798), que encaminhou apenas sete detentos para trabalhar.

Goiás é o Estado com maior ocupação de postos de trabalho - 265 de 322 abertos. As únicas unidades federativas com 100% de aproveitamento são a Paraíba e o Distrito Federal, com encaminhamento para todas as 43 vagas oferecidas.










*Fonte: http://noticias.r7.com/vestibular-e-concursos/noticias/mais-de-80-das-vagas-de-emprego-para-presos-nao-sao-preenchidas-20110225.html

Desempregados apostam na volta ao mercado em 2011

Desempregados apostam na volta ao mercado em 2011


Expectativa é que sejam criadas 3 milhoões de vagas neste ano

Todo o ano é a mesma coisa. Depois da euforia das contratações temporárias no final do ano, o mercado de trabalho desaquece, os funcionários são dispensados e a rotina volta ao normal.

No entanto, mesmo com a desaceleração do mês de janeiro, a taxa de desemprego no mês é a menor desde 2003, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com a previsão da criação de 3 milhões de empregos neste ano, quem estiver desocupado deve aproveitar o momento para atualizar o currículo e começar correr atrás.





 

 

Mãe se acorrenta a banco de escola em protesto por vaga para filho

Mãe se acorrenta a banco de escola em protesto por vaga para filho
Mulher quer vaga em escola próxima de casa em São José dos Campos.

Filho de 11 anos tem problemas neurológicos e não consegue ir sozinho.

Na busca por uma vaga para o filho em uma escola perto de casa, uma moradora de São José dos Campos, a 99 km de São Paulo, decidiu chamara a atenção se acorrentando a um banco da escola. Ela diz que espera por uma vaga no local para o filho há quatro anos.

Raquel de Almeida tem um filho de 11 anos, que estuda em uma escola que fica a pelo menos 6 km de sua casa. Ela diz que, por causa de um problema neurológico, ele não pode andar de ônibus sozinho. “Ele tem um atraso de aprendizagem, ainda não conhece dinheiro muito bem, se perde no meio das pessoas. Ele não sabe ir à escola sozinho”, explica Raquel.

Até o ano passado ela pagava uma van para levar o filho à escola. “Estou desempregada, meu marido também, ele faz bico, o que a gente ganha só da para comer. Não tenho como pagar R$ 100 para uma van”, contou.

Esse ano, o filho de Raquel ficou em 32° lugar na lista de espera por uma transferência para a Escola Municipal Ruth Nunes, no bairro onde a família mora. Desde o início do ano vários alunos foram chamados; ainda são 12 na frente dele.

“Existe um critério de distância, quem mora mais perto da escola tem prioridade. Esse sofrimento da mãe a gente entende, mas não podemos concordar com ela se acorrentar”, afirma o Secretário de Educação, Alberto Marques Filho.

A orientação do Secretário de Educação é que Raquel solicite à escola estadual onde o filho estuda o transporte especial. A escola então repassará o pedido à prefeitura.








MEC confirma reajuste de piso salarial do professor para R$ 1.187

MEC confirma reajuste de piso salarial do professor para R$ 1.187

Valor vai de R$ 1.024,67 para R$ 1.187,08 para jornada de 40 horas.
Reajuste é calculado de acordo com custo-aluno do Fundeb.

O piso salarial dos professores da educação básica aumentar em 15,85%, segundo nota do Ministério da Educação divulgada nesta quinta-feira (24). De acordo com o texto, o valor foi calculado em função do reajuste do valor do custo-aluno Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) deste ano. O valor para um professor de nível médio e jornada de 40 horas semanais passa de R$ 1.024,67 para R$ 1.187,08. O aumento vale para o pagamento de salários a partir de 1º de janeiro deste ano.

O MEC aprovou ainda a resolução da Comissão Intergovernamental para Financiamento da Educação de Qualidade (integrado também pelo Consed e Undime), que atenua os critérios para que prefeituras e governos estaduais possam complementar seu orçamento com verbas federais e cumprir a determinação do piso.

Os novos critérios exigidos para a solicitação de recursos federais por estados e municípios para cumprir o piso salarial do magistério, de acordo com o ministério, são:

- Aplicar 25% das receitas na manutenção e desenvolvimento do ensino

- Preencher o Sistema de Informações sobre Orçamento Público na Educação (Siope)

- Cumprir o regime de gestão plena dos recursos vinculados para manutenção e desenvolvimento do ensino

- Dispor de plano de carreira para o magistério com lei específica

- Demonstração cabal do impacto da lei do piso nos recursos do estado ou município

"Com base nestas informações o Ministério da Educação vai avaliar o esforço desprendido pelas administrações solicitantes na tentativa de pagar o piso salarial do magistério. O MEC reservou cerca de R$ 1 bilhão de seu orçamento para este fim", diz a nota.

Veja a íntegra da nota:

"O Ministério da Educação informa que, com base na nota de cálculo apurada com o reajuste do valor do custo-aluno no FUNDEB deste ano, o piso salarial do magistério deve ser reajustado em 15,85%, o que eleva a remuneração mínima para um professor de nível médio e jornada de 40 horas semanais para R$ 1.187,08.

O Ministério da Educação esclarece que esta remuneração está assegurada pela Constituição Federal e deve ser praticada em todo o território nacional, por todas as redes educacionais públicas, municipais ou estaduais e privadas.

Com relação à reivindicação da Confederação Nacional dos Municípios de que o reajuste fosse realizado em abril, o MEC informa que o aumento é determinado de acordo com a definição do custo-aluno pela lei do Fundeb, no início do ano.

O Ministério da Educação informa ainda que aprovou a resolução da Comissão Intergovernamental para Financiamento da Educação de Qualidade (integrado também pelo Consed e Undime), que atenua os critérios para que prefeituras e governos estaduais possam complementar seu orçamento com verbas federais e cumprir a determinação do piso.

Novos critérios --- Estes são os novos critérios exigidos para a solicitação de recursos federais por estados e municípios para cumprir o piso salarial do magistério:

1. Aplicar 25% de suas receitas na manutenção e desenvolvimento do ensino;

2. Preencher o SIOPE (Sistema de Informações sobre Orçamento Público na Educação);

3. Cumprir o regime de gestão plena dos recursos vinculados para manutenção e desenvolvimento do ensino;

4. Dispor de plano de carreira para o magistério com lei específica;

5. Demonstração cabal do impacto da lei do piso nos recursos do Estado ou Município;

Com base nestas informações o Ministério da Educação vai avaliar o esforço desprendido pelas administrações solicitantes na tentativa de pagar o piso salarial do magistério. O MEC reservou cerca de R$ 1 bilhão de seu orçamento para este fim."







*Fonte: http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2011/02/reajuste-do-piso-salarial-do-professor-sera-de-16-segundo-mec.html

Inflação do aluguel acelera para 1% em fevereiro, indica FGV

Inflação do aluguel acelera para 1% em fevereiro, indica FGV

Nos últimos 12 meses, IGP-M acumula alta de 11,3%.
Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) também acelerou.

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), utilizado para reajuste da maioria dos contratos de aluguel, acelerou de 0,79% em janeiro para 1% em fevereiro, segundo informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira (25). No ano, o índice acumula alta de 1,80% e de 11,3% nos últimos 12 meses.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que representa 60% do IGP-M, também acelerou, de 0,76% para 1,20%. O índice relativo aos bens finais passou de 0,08% para 0,17%, em fevereiro. Já o índice referente ao grupo bens intermediários desacelerou, passando de 0,78% para 0,76%. Em janeiro, a taxa foi de 0,78%. O índice de matérias-primas brutas variou 2,97%, em fevereiro, contra 1,50% em janeiro.

Preços ao consumidor

Em fevereiro, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ficou em 0,67%, contra 1,08% em janeiro. Dos sete grupos de despesas que compõem o índice, cinco registraram decréscimos em suas taxas de variação. O principal destaque partiu do grupo alimentação, que recuou de 1,47% para 0,24%. As principais influências foram observadas nas variações de preços e frutas (de 1,87% para -1,41%), carnes bovinas (de -0,58% para -2,91%) e hortaliças e legumes (de 9,35% para 6,42%).

Foi registrada desaceleração no avanço de preços dos grupos educação, leitura e recreação (de 2,75% para 1,63%), vestuário (de 0,35% para -0,55%), saúde e cuidados pessoais (de 0,53% para 0,33%) e transportes (de 1,94% para 1,82%).

Na contramão, ficaram ainda mais caras as despesas relativas aos grupos despesas diversas (de 0,95% para 1,57%) e habitação (0,22% para 0,51%).

Custo da construção

Em fevereiro, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) acelerou de 0,37% para 0,39% em fevereiro. A taxa do grupo materiais e equipamentos apresentou aceleração, de 0,22%, em janeiro, para 0,54%, em fevereiro. A taxa do grupo serviços recuou de 1,21% para 1,04%, e a do índice relativo ao grupo mão de obra baixou de 0,32%, no mês anterior, para 0,12% neste mês.




 


quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Exportações maranhenses crescem 114,5%

Exportações maranhenses crescem 114,5%


Empresas exportaram o equivalente a US$ 175,4 milhões em 2011. Em 2010, foram US$ 81,7 milhões.

SÃO LUÍS - As exportações maranhenses em janeiro mostraram um aumento de 114,5% em relação ao igual período de 2010. Enquanto as empresas maranhenses exportaram o equivalente a US$ 175,4 milhões no primeiro mês de 2011, em janeiro do ano passado foram US$ 81,7 milhões. Os dados são da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema).

O carro-chefe das exportações foi o ferro fundido não-ligado, com 36,2% de participação. A alumina calcinada (30%) e os minérios de ferro aglomerados e seus concentrados (22,7%) também tiveram participações importantes na composição das exportações.

Acompanhando o calor do mercado, as importações também cresceram neste começo de ano. O Maranhão importou 34,3% a mais em janeiro de 2011 do que em janeiro de 2010. O volume já importado este ano é de US$ 160,9 milhões contra US$ 119,7 milhões nos 30 primeiros dias de 2010.

Os dois produtos mais importados pelo Estado são combustíveis: querosene de aviação, representando 32,4% das importações, óleo diesel (21,8%) e trilhos de aço (16,2%), num indicativo de que a malha ferroviária do estado está em expansão. Equipamentos e maquinário industriais e outros bens de capital, com um volume importado de US$ 11,2 milhões, também tiveram contribuição importante para o aumento das importações.

Superavit

A balança comercial - diferença entre exportações e importações - mostrou um superavit de U$$ 14,4 milhões, um aumento de 138,1% comparado com o último janeiro, quando o deficit da balança foi de pouco mais de US$ 38 milhões.

Pela análise da Fiema, os números são positivos e vão além do superávit da balança. “Os números mostram que o Maranhão está começando bem o ano, com as empresas locais exportando com vigor. As importações também são positivas, pois mostram que a indústrias estão comprando bens de capital, aqueles que são investidos na produção", analisou o presidente da Fiema, Edílson Baldez das Neves.





Avião com 114 brasileiros que estavam na Líbia chega a Malta

Avião com 114 brasileiros que estavam na Líbia chega a Malta

332 trabalhadores de outras nacionalidades também foram retirados do país.

Repressão a protestos contra Kadhafi matou centenas e jogou país no caos.

Um avião com 446 pessoas – entre elas 114 brasileiros – pousou nesta quinta-feira (24) em Malta, vindo de Trípoli, na Líbia.

O país é palco de violentos confrontos entre manifestantes antigoverno e forças de segurança leais ao ditador Muammar Kadhafi, no poder desde 1969.

Centenas de pessoas morreram, e o leste do país está nas mãos dos manifestantes. Kadhafi promete resistir.

Na aeronave, fretada pela construtora Odebrecht, estavam todos os 107 funcionários e familiares brasileiros da companhia na Líbia, além de sete brasileiros funcionários da Petrobras e seus familiares.

Também estavam no avião outros 332 trabalhadores da Odebrecht e seus familiares, de 23 nacionalidades. Permanecem na Líbia 2.749 funcionários da empresa.

Outros dois voos fretados pela construtora, com capacidade para 450 cada, devem chegar a Malta ainda nesta quinta. Um navio com capacidade para 2 mil pessoas saiu da cidade italiana de Palermo, abasteceu em Malta e deve chegar a Trípoli também na tarde desta quinta para resgatar os remanescentes.

“Em Malta as pessoas estão sendo abrigadas em hotéis e a Odebrecht providenciará, em vôos fretados e de carreira, a condução de todos aos seus países de origem”, informou a companhia em nota.

Outros 148

Na quarta-feira, uma embarcação de grande porte deixou Atenas, na Grécia, em direção à Líbia para resgatar um grupo de 148 brasileiros, informou o Ministério das Relações Exteriores.

Esses 148 brasileiros retidos, conforme o Itamaraty, são funcionários da construtora Queiroz Galvão que estão na cidade de Benghazi, no leste do país, e onde começaram os confrontos entre manifestantes e forças do governo.

A operação foi organizada pela embaixada brasileira em Atenas e paga pela Queiroz Galvão. A previsão é de que os brasileiros voltem para a cidade grega.

Além dos 148 brasileiros, informou o Itamaraty, pessoas de outras nacionalidades também serão resgatadas pelo navio. A estimativa é de que a embarcação leve cerca de 180 pessoas.

A opção pelo transporte marítimo teria sido feita devido aos danos causados durante os protestos no aeroporto de Bengazhi.








*Fonte: http://g1.globo.com/revolta-arabe/noticia/2011/02/aviao-com-brasileiros-que-estavam-na-libia-chega-malta.html

Renda dos trabalhadores é a maior da história para janeiro, diz IBGE

Renda dos trabalhadores é a maior da história para janeiro, diz IBGE

De acordo com IBGE, rendimento ficou em R$ 1.538,30.
É o quarto melhor resultado desde o início da pesquisa, em março de 2002.

O rendimento médio real dos trabalhadores brasileiros é o melhor da história, para o mês de janeiro, desde que a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), começou a ser elaborada, em março de 2002. Em janeiro de 2011, o rendimento médio real habitual ficou em R$ 1.538,30. Antes, o melhor resultado tinha sido em janeiro de 2009, quando o rendimento médio real cravou R$ 1.465,80.

O resultado de janeiro de 2011 é o quarto melhor da história da PME. O primeiro mês deste ano só perde para os meses de outubro (R$ 1.554,62), setembro (R$ 1.550,61) e novembro (R$ 1.541,96) de 2010.

“Esse resultado se deu em função de já existir um histórico de melhoras do cenário econômico ao longo da série de pesquisas”, ressaltou Cimar Azeredo, gerente da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. “O cenário de 2010 foi um dos melhores que se verificou após a crise”, complementou.

De acordo com Azeredo, o resultado poderia ter sido ainda melhor se não tivesse ocorrido a crise econômica mundial, em setembro de 2008. “O salário real poderia estar ainda melhor não fosse a crise de 2008, que freou a evolução do rendimento médio dos trabalhadores”, concluiu o gerente.








SES realiza oficina sobre infecções hospitalares em Imperatriz

SES realiza oficina sobre infecções hospitalares em Imperatriz

Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa), realizará nesta quinta-feira (24), a partir das 8h, no auditório da Casa Brasil, em Imperatriz, a Oficina de Vigilância Epidemiológica das Infecções relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS). O objetivo é fortalecer as ações de Vigilância Sanitária no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS).

O evento é voltado aos profissionais das Comissões Internas de Prevenção das Infecções Hospitalares (CCIH's), médicos, enfermeiros, assistentes sociais, farmacêuticos, profissionais da Vigilância Sanitária (Visa) de Imperatriz, das 11 unidades de saúde do município, públicas e privadas, hospitais municipais de Açailândia, Buriticupu, Porto Franco e Estreito, bem como profissionais da Unidade Gestora de Saúde de Imperatriz.

A oficina visa discutir a importância das comissões de infecções hospitalares nos estabelecimentos assistenciais de saúde, além dos novos critérios de infecções das IRAS, em cumprimento à legislação sanitária de acordo com a Portaria nº 2616/98, do Ministério da Saúde.

Realizada nas regionais, a oficina garante ao profissional de saúde o acesso mais rápido a informações e contribui para que esse profissional responda de forma mais efetiva às necessidades das unidades de saúde, prevenindo e diminuindo os riscos das infecções hospitalares.

As Oficinas de Vigilância Epidemiológica das Infecções Hospitalares acontecem todos os anos. Fazem parte da política de educação preventiva dos profissionais da Secretaria de Estado da Saúde, com vistas a fortalecer o papel da VISA de promoção e proteção da saúde individual e coletiva.

Para o superintendente de Vigilância Sanitária, Arnaldo Muniz Garcia, a adesão e criação das CCIH's nas unidades de saúde representam um dos mais importantes instrumentos utilizados pela Vigilância para prevenir as infecções hospitalares.

"Essas comissões internas nas unidades são responsáveis pelo monitoramento e detecção de surtos, assim como deverão informar mensalmente todos os indicadores do IRAS a SUVISA", acrescentou Arnaldo Muniz. (Cristiano Santos)






Windows 8 para tablets terá aparência diferente da nova versão para PCs

Windows 8 para tablets terá aparência diferente da nova versão para PCs

G1 apurou que Microsoft deve usar mais de uma interface em novo sistema.
Com 'máscara', programa ficaria mais amigável para tela sensível ao toque.

O presidente da Microsoft, Steve Ballmer, afirmou em janeiro, na abertura do Consumer Electronics Show 2011, que a nova versão do sistema operacional Windows será compatível não apenas com os computadores tradicionais, com arquitetura Intel, mas também com equipamentos mais leves, com processadores ARM e tela sensível ao toque. Mas embora PCs e tablets compartilhem as entranhas do Windows 8, cada tipo de aparelho poderá exibir uma "cara" diferente, mais adaptada ao formato do aparelho.


Segundo fontes ligadas à empresa de Redmond, a decisão da Microsoft de criar uma interface gráfica específica, e não um sistema operacional completamente independente para tablets, foi tomada com base na percepção da empresa de que o principal ativo da companhia é a onipresença do Windows -- e do pacote Office -- no ambiente corporativo.

"Acreditamos que o usuário vai querer fazer com o tablet tudo o que ele faz em seu computador no escritório", afirmou, ao G1, o vice-presidente sênior da divisão de comunicações móveis da Microsoft, Andy Lees, durante evento no Mobile World Congress de Barcelona. Por isso, segundo Lees, a empresa desistiu de simplesmente adaptar o Windows Phone 7, sistema operacional da empresa utilizado em telefones celulares e que será adotado pela Nokia, para a tela maior dos tablets.

A principal vantagem, do ponto de vista do consumidor, é que será possível utilizar, nos tablets, programas desenvolvidos para Windows. Isso não é possível, por exemplo, com o iPad, que não é compatível com aplicativos criados para computadores Mac.

Tentativa frustrada

Lees, no entanto, sabe que a Microsoft já tentou usar uma versão completa do Windows, praticamente intocada, em aparelhos sem mouse e teclado. Em 2001, a empresa lançou o conceito de “Tablet PCs”, computadores com tela sensível ao toque rodando Windows.

Sem adaptações de interface e com preço alto para a época, o produto fracassou. Nove anos depois, em 2010, a Apple conseguiu, utilizando um sistema originalmente criado para celulares, fazer do iPad o maior sucesso de vendas do ano no setor de tecnologia.

"O fato de utilizarmos o mesmo sistema operacional, com todas as funções, não significa que a interface será a mesma", afirmou Lees. Um engenheiro ligado ao desenvolvimento do novo Windows confirmou ao G1 que a empresa testa o uso de uma "máscara" adaptada para comandos feitos com o toque da ponta dos dedos, e não mais pelos tradicionais cliques do mouse.

Até mesmo a interface Metro UI, que nasceu para o tocador de vídeos e MP3 Zune, passou para o Windows Media Center, e agora é usada em todos os telefones com sistema da Microsoft, está sendo testada pela Microsoft. Seria, no caso, uma maneira de criar uma "ponte" unindo o sistema para telefones ao utilizado em tablets e PCs.

Por enquanto, nem a interface para a versão tradicional do Windows 8 é conhecida. Durante a apresentação na CES 2011, Steve Ballmer enfatizou que as máquinas que rodavam a nova versão do sistema operacional, compilado para processadores com arquitetura ARM, ainda exibiam elementos da interface gráfica Aero, do Windows 7.

Abordagem diferente

A estratégia adotada pelas maiores concorrentes da Microsoft -- a Apple, com o iPad, e o Google, dono do sistema Android -- é diferente. Na companhia de Steve Jobs, por exemplo, o iPhone até chegou a ser anunciado, em 2007, como um telefone rodando Mac OS X. Mas, quando chegou ao mercado, o que se viu foi um aparelho com sistema que bebia nas mesmas fontes -- ou seja, Unix -- que os computadores da Apple, mas sem compatibilidade com os programas feitos para a plataforma Mac OS X.

O Google também mantém linhas diferentes de desenvolvimento para computadores tradicionais e para tablets e celulares - embora, no caso da gigante das buscas, o jogo tenha se invertido, já que o sistema para PCs, o Chrome OS, é mais novo que o Android

 
 
 
 
 
 
 
*Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/02/windows-8-para-tablets-tera-aparencia-diferente-da-nova-versao-para-pcs.html

MEC anuncia nesta quinta-feira aumento de 16% no piso de professor

MEC anuncia nesta quinta-feira aumento de 16% no piso de professor

Valor vai de R$ 1.024,67 para R$ 1.187,97 para jornada de 40 horas.

Reajuste é calculado de acordo com custo-aluno do Fundeb.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, anuncia nesta quinta-feira (24) o novo piso salarial dos professores da rede pública do país. O valor será de R$ 1.187,97 para docentes de nível médio que cumprem carga horária de 40 horas - uma alta de 15,84% sobre os R$ 1.024,67 adotados em 2010. Para os professores que cumprem 20 horas, o piso será de R$ 593,98.

O valor, de acordo com o MEC, é calculado pelo custo-aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A assessoria de imprensa do MEC disse que será definido nesta manhã se Haddad concederá entrevista coletiva sobre o aumento.

O governo anuncia também o abrandamento das regras para a liberação de recursos federais para as cidades que têm dificuldades para pagar o piso salarial. Atualmente, para receber o recurso adicional quando não é possível atingir o piso mínimo, o estado ou o município tem de destinar 30% de seu orçamento para a educação - e não os 25% exigidos pela Constituição. Pela nova regra, valerá o porcentual definido na Constituição.

O Ministério da Educação (MEC) vai flexibilizar também a regra que determina que, para repassar a verba, o município precisa atender 30% dos alunos na área rural. A condição deverá ser derrubada.







Desemprego registra menor taxa para janeiro desde 2003, diz IBGE

Desemprego registra menor taxa para janeiro desde 2003, diz IBGE

De dezembro de 2010 para janeiro de 2011, desocupação aumentou.
Salários também tiveram alta nas comparações mensal e anual.

O desemprego nas seis regiões metropolitanas monitoradas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) subiu de 5,3% em dezembro de 2010 para 6,1% em janeiro de 2011. Mesmo com essa avanço, a taxa foi a menor para meses de janeiro, desde 2003, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (24).

Na comparação com janeiro do ano passado, quando foi registrada taxa de 7,2%, o recuo foi de 1,1 ponto.

“Você tem um poder de efetivação menor em janeiro, mas por outro lado o nível de ocupação da população economicamente ativa está maior do que o mês de janeiro de 2010. Isso mostra um mercado mais resistente, virtuoso, e que cresceu em relação ao ano passado”, disse Cimar Azeredo, gerente da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Nesta manhã, o Ministério do Trabalho deverá divulgar o resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de janeiro. Ao contrário da pesquisa do IBGE, que mostra a taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas e inclui postos formais e informais, o Caged indica apenas as vagas formais criadas em todo o país.

Segundo o IBGE, a população desocupada somou 1,423 milhão, crescimento de 13,7% sobre o mês anterior. "Isso ocorre pela saída dos trabalhadores temporários, que só tarbalharam neste período e depois não voltam a procurar emprego porque, por exemplo, voltam a estudar”, afirmou o gerente.

Já em relação a janeiro do ano passado, teve queda de 15,6%. A população ocupada, que chegou a 22,08 milhões, caiu 1,6% na comparação com dezembro e aumentou 2,2% sobre o mesmo período do ano anterior.

A quantidade de trabalhadores com carteira de trabalho assinada ficou estável em janeiro, em 10,474 milhões. No ano, o aumento foi de 6,6%.

Serviço doméstico

De acordo com o gerente do IBGE, o serviço doméstico está em baixa por conta da melhora do mercado de trabalho. "Empresas de serviços gerais estão contratando empregados que foram dispensados durante a crise que se iniciou em 2008. Isso pode ser um dos indicadores que explicam o aumento da carteira assinada, e contribui para a formalização do mercado.”

Salários

Quanto ao rendimento médio real dos trabalhadores, que ficou em R$ 1.538,30, foi verificado aumento de 0,5% no mês e de 5,3% em relação a janeiro de 2010.

Para 2011, as perspectivas são favoráveis, segundo Azeredo. “Não temos como falar sobre expectativas, mas a pesquisa mostra que estamos em um caminho satisfatório.”




 



*Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/02/desemprego-registra-menor-taxa-para-janeiro-desde-2003-diz-ibge.html

Homem preso pode ter auxiliado na fuga de suspeitos da morte de jovem

Homem preso pode ter auxiliado na fuga de suspeitos da morte de jovem

Polícia trabalha com hipótese que ele seria o terceiro envolvido no caso.

Ele não teve identidade revelada; polícia procura mais dois suspeitos.

A Polícia Civil de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, prendeu na noite da quarta-feira (23) um homem que teria auxiliado a fuga dos dois principais suspeitos do assassinato de Vanessa Vasconcelos Duarte. O corpo da vendedora de 25 anos foi achado num matagal em Vargem Grande Paulista em 13 de fevereiro, um dia após ter desaparecido da casa do noivo em Barueri. O veículo que ela dirigia foi encontrado a sete quilômetros do corpo, no mesmo dia do sumiço.

Segundo policias que participam da investigação, o detido teve a prisão pedida na quarta-feira (23) e decretada pela Justiça no mesmo dia. Ele teria sido localizado na região de Barueri. Delegados que colaboram com os trabalhos policiais informaram que o homem, que pode ser o terceiro suspeito de participar do crime, estaria detido em uma das unidades prisionais da Grande São Paulo ou na delegacia do setor de homicídios, que concentra a investigação do caso.

Ainda de acordo com a polícia, ele será submetido a reconhecimento por testemunhas nesta quinta-feira (24). O suspeito não teve a identidade divulgada até o momento, e não há informações se ele confessou participação no crime, ou não. Até o momento, a suspeita é que ele poderia ter auxiliado os dois principais homens apontados como assassinos na fuga para o interior de São Paulo, logo após o crime.

A Secretaria de Segurança Pública confirmou nesta quinta-feira que um homem foi detido para averiguação por suspeita de envolvimento na morte de Vanessa. Além desse homem, a polícia trabalha com a hipótese de mais dois envolvidos na morte da supervisora de vendas. Ambos são procurados. Um deles já foi identificado. É o ex-presidiário Edson Bezerra de Gouveia, de 35 anos, que teve a prisão temporária decretada pela Justiça na semana passada. O outro suspeito é homem branco, que não teve a identidade revelada.

Buscas por suspeitos

Nos últimos dois dias, a polícia esteve em 20 lugares em cidades da Grande São Paulo à procura de Gouveia, principal suspeito pelo assassinato de Vanessa. As buscas foram feitas inclusive na casa da ex-mulher dele. Segundo as investigações, ele já foi casado e tem dois filhos. A Justiça decretou a prisão temporária de Edson Gouveia na sexta-feira (19). Desde então, ele é considerado foragido.

Gouveia, apontado pela polícia como estuprador e assassino de Vanessa Duarte, tem uma longa ficha policial, mas estava fora da cadeia porque conseguiu o benefício da liberdade condicional. Ele tem 35 anos, tatuagem de pantera no braço direito e por causa dos 2,03 m de altura tem o apelido Gigante ou Buda. É um velho conhecido da polícia: já passou por 18 unidades do sistema prisional do estado de São Paulo em 13 anos. Foi condenado três vezes por assalto.

Há um ano, ganhou o benefício da liberdade condicional, quando deixou o Centro de Progressão Penitenciária de Mongaguá, sem passar pelo exame que avalia a personalidade do criminoso e os riscos que ele pode oferecer à sociedade. Gouveia é apontado como o principal suspeito de violentar e matar Vanessa Duarte e já está na página de procurados da Secretaria de Segurança Pública na internet.







Juiz britânico aprova extradição de Julian Assange para a Suécia

Juiz britânico aprova extradição de Julian Assange para a Suécia

Fundador do Wikileaks pode ser interrogado no país por crimes sexuais.
Assange nega acusações e diz que o caso é motivado politicamente.

O juiz britânico Howard Riddle aprovou nesta quinta-feira (24) a extradição do fundador do Wikileaks, Julian Assange, para a Suécia. O país quer a extradição por afirmar que ele é suspeito de quatro crimes sexuais. De acordo com a rede britânica BBC, o juiz comunicou a decisão na corte de Belmarsh Magistrates Court, em Londres.

A Suécia quer interrogá-lo no âmbito de acusações de que ele teria violentado e agredido sexualmente duas mulheres, embora não tenha sido formalmente acusado. Advogados de Assange argumentavam que ele não obteria um julgamento justo na Suécia.

No entanto, o australiano de 39 anos nega as acusações, embora admita ter mantido relações sexuais com as duas mulheres. Segundo ele, o caso é motivado politicamente pelo vazamento de milhares de documentos confidenciais da diplomacia americana e documentos secretos sobre as guerras do Iraque e do Afeganistão.

Fundador do Wikileaks, Julian Assange chega à Corte, em Londres, nesta quinta (Foto: Matt Dunham/AP)

Assange estava vivendo na mansão de um conhecido, sob um tipo de prisão domiciliar, desde que um tribunal lhe concedeu liberdade sob fiança em dezembro.

Em um resumo do caso divulgado na Internet, os advogados de Assange argumentaram que o mandado de prisão foi emitido para puni-lo por suas opiniões políticas, e enviá-lo à Suécia seria um passo para que ele seja transferido aos Estados Unidos. 'Existe um risco real de que, se ele for extraditado à Suécia, os EUA buscarão sua extradição e/ou rendição ilegal aos EUA, onde haveria o risco real de ele ser detido na Baía de Guantánamo ou em qualquer outro lugar...', disse o documento. 'De fato, se o sr. Assange for entregue aos EUA...há um risco verdadeiro de que ele poderá estar sujeito à pena de morte', afirmou.

O governo norte-americano está examinando se acusações criminais podem ser feitas contra Assange pela publicação de documentos diplomáticos que revelaram informações sensíveis como aquelas indicando que o rei saudita Abdullah pediu repetidas vezes aos Estados Unidos que atacasse o programa nuclear do Irã.